De carly fiorina a attilio bilibio

Li dois excelentes livros nesta semana: “Como começar uma indústria com pouco dinheiro e com muita paixão de Attilio Bilibio, fundador da Medabil, e Escolhas difíceis de Carly Fiorina, CEO da HP durante 6 anos.

Li as obras quase que simultaneamente. Uma delas escrita por um self-made man, um filho gaúcho de imigrantes italianos que criou uma boa indústria a partir do nada. Estudou apenas até a 4ª. Série do ensino fundamental. A outra obra escrita por uma executiva americana, talvez a mulher mais importante do mundo dos negócios nos USA nos últimos 50 anos. Carly estudou em Stanford e em Sloan, a tradicional faculdade de administração do MIT. Fez MBA em gestão e estudou história, filosofia e economia.

Evidentemente, a dimensão da história da Sra. Fiorina é muito maior do que a história do Sr. Bilibio. Mas as duas autobiografias têm algo de espetacular em comum: a disciplina, a concentração, o ritmo e a capacidade estóica dos dois personagens de trabalhar sob pressão.

Os 4 atributos citados e grifados em vermelho representam características inconfundíveis de grandes vencedores na vida e no mundo dos negócios.

Ambos foram discriminados (Bilibio por ser muito simples e rude, Fiorina por ser mulher), ambos sentiram medo, ambos venceram seus medos, ambos tiveram fracassos e ambos foram vitoriosos. Os dois personagens sempre manifestaram uma vontade imensa de aprender e sempre estiveram expostos a uma variedade muito grande de conhecimentos. Correram atrás de quem os pudesse ensinar. Bilibio chegou a trabalhar de graça para aprender o ofício de serralheiro. Fiorina estudava obstinadamente. Bilibio afirma que “dormir muito não é um bom negócio e Fiorina afirma diante de fracassos que não se importa em começar e recomeçar tudo outra vez, tantas vezes quanto for necessário”.

E eu penso em Ayrton Senna, Bernardinho, Jorge Gerdau, Jack Welch, Churchill (Jamais ceder Never give in!) e em outros vitoriosos e vejo os mesmos 4 atributos em todos eles.

A vontade imensa em aprender. A curiosidade pelo mundo. A leitura incansável. Aos 62 anos, pouco antes de morrer no trágico desastre da TAM em Congonhas, Bilibio afirma que continuo estudando inglês”.

Muitas empresas me perguntam como avaliar seus funcionários. Minha resposta é sempre a mesma: na questão das atitudes, verifique a aderência do comportamento das pessoas aos 4 atributos anteriores e aos valores particulares da empresa.

E entendo cada vez mais claramente porque algumas empresas crescem e se desenvolvem e porque outras enfraquecem e morrem: a falta ou a presença dos 4 atributos, começando pela liderança. Os grandes líderes das organizações devem ser os primeiros a incorporar os 4 atributos.

Se Bilibio tivesse nascido no mundo intelectual da família de Fiorina e se ela fosse a filha dos imigrantes italianos no Rio Grande do Sul, o resultado de suas vidas seria exatamente o mesmo; vitória. Até porque ambos afirmam enfaticamente que a causa fundamental do seu sucesso pessoal foram suas famílias.

Leia estes livros. Faça com que seus filhos leiam. Divulgue estas histórias em suas empresas. Debatam os livros. Analisem cada frase. Discutam como os conceitos contidos em cada obra podem ser aplicados em sua organização. Façam planos de desenvolvimento humano na sua empresa a partir de biografias como estas. Pode acreditar, você estará muito bem acompanhado.

Um abraço para todos