Estagiários

25/01/2013

Muitas e muitas empresas torcem o nariz ou simplesmente ignoram o potencial imenso existente nos jovens estagiários. Buscam medalhões carimbados na rua quando poderiam aproveitar a vibração e a energia de jovens que somente querem agarrar sua primeira oportunidade de trabalho com unhas e dentes. Os processos de seleção e de treinamento de estagiários são precários e poucos parecem entender os diamantes que podem estar sendo arremessados no lixo.

Muitas empresas procuram incessantemente bons profissionais nos lugares errados. Através de suas áreas de RH e com a ajuda de head hunters, garimpam em terras estéreis. Esquecem os jovens estagiários, relegando sua seleção à consultorias externas ou a assistentes de RH completamente despreparados para avaliar a importância da sua missão. Raramente, especialmente nas empresas grandes e médias, diretores entrevistam candidatos a estágio. Tenho certeza que muitos considerariam esta prática um disparate, afinal de contas por que um executivo importante e atarefado entrevistaria um simples candidato a estágio? Engano grosseiro! Mão de obra qualificada, barata e doida para trabalhar, aprender, enfrentar desafios, vibrar pela empresa e abraçar o mundo, os jovens estagiários ainda são mal selecionados, treinados e acompanhados na maioria das organizações. Já vi muitos estagiários completamente perdidos e jogados à ociosidade em várias empresas que ignoram alguns diamantes que rolam pelas suas mãos e escapam entre os dedos.

Já ajudei a promover vários estagiários talentosos e com excelentes atitudes diretamente para analistas e supervisores em algumas empresas e nunca assisti a um caso de arrependimento.

Se o estagiário for ruim, é barato e rápido desligá-lo da empresa, o que representa outra vantagem. Empresas admiráveis como Braskem e AmBev aprenderam há muitos anos a cuidar dos seus jovens. Aliás, se uma empresa não sabe cuidar dos seus jovens, ela não sabe cuidar de nada.