Objetividade e penduricalhos

Quanto mais consultoria faço nas empresas, mais me convenço: há um grupo de pessoas (nas próprias empresas e ao redor delas – nos governos, nos sindicatos, na comunidade, etc) que contribuem COM ABSOLUTAMENTE NADA para o negócio. No restante deste artigo, vou chamar a este grupo de TRASTES.
Traste – segundo o Houaiss – é “objeto de pouco valor, pessoa imprestável”.

Você, caro leitor, entendeu o que eu escrevi? Há um grupo de pessoas que ganham dinheiro da sua empresa (salários, impostos, taxas, etc) para contribuir COM ABSOLUTAMENTE NADA para o seu negócio.
E pior ainda: fazem com que pessoas úteis da sua empresa (incluindo você mesmo) percam tempo com bobagens, com ações que SERVEM PARA NADA!!!

Desperdiçar tempo é ainda pior do que desperdiçar dinheiro. O tempo jogado fora JAMAIS SERÁ RECUPERADO!!! O tempo passa e acabou! Tenho visto muitas pessoas trabalhando até altas horas, cada vez mais freqüentemente. Tenho visto gente trabalhando rotineiramente todos os finais de semana, pelo menos no sábado. Uma das causas deste desvio é o grupo dos TRASTES.

Os TRASTES invadem a rotina realmente produtiva das empresas pedindo tarefas que SERVEM PARA NADA e CRIANDO PENDURICALHOS na vida das organizações que POUCO OU NADA estão relacionados com lucro e produtividade.

Exemplos de tarefas QUE SERVEM PARA NADA e de PENDURICALHOS:

- estudos que nunca chegam a qualquer conclusão. Mesmo quem os pediu não lembra, 1 ano depois, o que foi feito com eles.

- normas que exigem ações totalmente inúteis. A empresa faz para não ser multada.

- implantação de softwares e de “facilidades” informatizadas que só dificultam a rapidez das pessoas e geram custos.

- treinamentos desconectados de necessidade real. Muitas pessoas perguntam antes de começar um curso: “o que estou fazendo aqui???”.

- avaliações complexas de desempenho (normalmente anuais) que “enlouquecem” avaliadores e avaliados.

- ecotraining – treinamentos ao ar livre – SEM COMENTÁRIOS.

- festas que geram longas discussões sobre o cardápio, local etc.

- pesquisas de clima organizacional. Normalmente todos já sabiam o que aparece nas pesquisas. Quando eu pergunto: “... então para que a pesquisa?”, o pessoal responde: “...prá validar?” Tóiiiinnnnggg!!!!

- Envolvimento com times de futebol, vôlei, bocha, etc. Com campeonatos, gincanas etc. Com “semana da música”, com campanhas de caridade etc. Evidentemente, esportes, lazer e caridade são assuntos muito importantes. MAS FEITOS FORA DO HORÁRIO DE EXPEDIENTE, NA FORMA DE TRABALHO VOLUNTÁRIO, SEM UTILIZAR OS RECURSOS DA EMPRESA.

- Convenções de vendedores e de representantes comerciais que mais parecem as antigas festas romanas (festas de Baco – o deus do vinho) do que reuniões de negócios!

- Vendas de produtos da empresa para funcionários. Nunca vi este procedimento extremamente generoso das empresas NÃO ACABAR EM REVENDA dos produtos por parte de alguns funcionários. Sempre a mesma queixa das empresas, sempre o mesmo desvio. Por que mantê-lo???

- Cursos intermináveis de inglês.

- Construção de instalações para o lazer dos funcionários.

- Exageros nos benefícios médicos e empréstimos.

- Campanhas publicitárias com retorno extremamente duvidoso.

- Discussões intermináveis sobre uniformes, cores, estilo etc.

Está pensando que eu estou exagerando no rigor? Saiba que a GM perdeu a liderança do mercado automotivo “porque está enredada em uma teia de benefícios e penduricalhos” que ela mesma criou. Saiba que a IBM talvez nunca mais recupere a liderança que já teve pelo mesmo motivo. E saiba que uma das razões do sucesso da GOL é justamente este rigor.

Vejo muitos funcionários que tinham muitos benefícios em suas empresas colocarem-nas na justiça sem o menor pudor quando saem. Vejo empresas que possuem este penduricalhos tornarem-se cada vez mais fracas, não cumprindo a sua verdadeira responsabilidade social de gerar riqueza e crescimento da economia. E vejo gente, inclusive empresários e executivos, defendendo este absurdo que leva empresas à ruína.

Muitas vezes, nós, brasileiros, acusamos americanos e europeus de serem “MUITO OBJETIVOS”. “Nós somos mais calorosos”, afirmamos. Grande bobagem, não é mesmo? Basta analisar os nossos resultados como país e os deles.

A solução? ELIMINE TODOS OS PENDURICALHOS. Alguém dirá: “...mas como será a reação das pessoas?”. Esta resposta eu já sei: os bons ficarão extremamente contentes. Porque vão parar de fazer tarefas INÚTEIS. E os TRASTES ficarão chateados. Mas quem liga para eles? Se você dá atenção para este grupo, creia, você está no caminho errado.
Use o dinheiro que você gasta com o grupo de TRASTES e seus PENDURICALHOS para remunerar, com base em metas ousadas, suas pessoas boas. Você terá uma organização mais enxuta e mais feliz.

Um abraço a todos!!!


Paulo Ricardo Mubarack