Os ratos da burguesia

18/05/2009

Quando você vê uma tartaruga em cima de um poste, você fica pensando: “quem a colocou lá?”, “ela não sabe o que fazer lá em cima” e “como ela chegou lá?” Não deixe que esta situação reflita promoções em sua empresa.

Circulam pelos locais mais chiques, não são estudiosos, mas usam grife. Falam meia dúzia de bobagens e têm um público que os adora: alguns ricos idiotas que gostam de ser bajulados. Estes ricos, normalmente herdeiros, nunca ouviram um “não” e confundem os executivos que escolhem com as babás que os criaram. Por isto encontramos alguns executivos que caíram de pára-quedas nos seus cargos e não entendemos como eles chegaram lá. Como na história da tartaruga que você enxerga em cima de um poste.

Quando você vê uma tartaruga em cima de um poste, você fica pensando: “quem a colocou lá?”, “ela não sabe o que fazer lá em cima” e “como ela chegou lá?”

Certos presidentes e diretores são como a tartaruga, não entendemos como chegaram lá, quem os colocou lá e sabemos que eles não sabem o que fazer lá.

- Você não entende como ela chegou lá;

- Você não acredita que ela esteja lá;

- Você sabe que ela não subiu para lá sozinha;

- Você sabe que ela não deveria nem poderia estar lá;

- Você sabe que ela não vai conseguir fazer absolutamente nada enquanto estiver lá;

- Então tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá!

O dinheiro periodicamente muda de mãos por isto e, neste nível, um executivo mal selecionado pode causar estragos irreversíveis em uma organização. A única saída é humildade. Famílias ricas devem treinar seus herdeiros para selecionarem executivos que salvem suas empresas e não para obedecê-los. Herdeiros devem ser humildes para entenderem que eles não têm qualquer vantagem biológica sobre os demais seres humanos, apenas vantagem financeira que veio de um óvulo fecundado, mais nada.

Uma boa empresa forma os seus gestores. Aproveita a “prata da casa”. Alguns argumentam que é bom empregar gerentes e diretores “de fora” porque eles oxigenam o ambiente e trazem consigo boas práticas. Totalmente errado. Boas práticas são aprendidas em viagens, visitas, treinamento etc. Eventualmente, até pode ser bom selecionar um gestor “pronto”, mas na quase totalidade dos casos, promoção interna só tem vantagens: pessoas que gostam da empresa e que têm sua cultura e seus valores. Desenvolvê-las é realmente a melhor solução.

Costumo aconselhar empresários a ter um forte programa interno de desenvolvimento humano, com disciplinas como Visão de Negócios, Tomada de Decisão, Gerenciamento da Rotina e Planejamento Estratégico. Se tiver mesmo que trazer alguém de fora para cargos altos, então TRAGA O CARA INQUESTIONÁVEL. Não empregue gente “meia-boca”.

Também não fico preocupado demais com acionistas que não querem manter e ampliar suas fortunas. Tenho uma palavra para empresários de primeira geração e para gestores sérios. Para os empresários de primeira geração, ofereço ajuda para prevenir estas falhas no futuro de médio prazo. Para os executivos sérios, um conselho: fiquem longe destas empresas e procurem locais mais saudáveis para trabalhar.