Treinamento no erro

30/07/2010

Uma sugestão muito importante: escreva nos seus manuais de treinamento os piores cases de erros de sua empresa, em qualquer área. Vi este procedimento em raras empresas. Uma lástima que material tão rico (OS ERROS QUE COMETEMOS) seja desperdiçado porque todos querem evitar falar sobre o assunto.

Raras empresas capricham no treinamento de seus profissionais. Nas pequenas, o treinamento praticamente inexiste. Nas médias, é fraco e nas grandes é disperso. Com algumas exceções, este é o quadro, inclusive em alguns gigantes multinacionais.

Raras empresas registram organizadamente seus principais erros. Mesmo certificadas em normas ISO que exigem o registro, a análise e a solução de não-conformidades, a maioria das empresas de todos os portes tem dificuldades em descrever suas principais falhas, causas e ações corretivas e preventivas.

Treinamento deficiente mais registro inadequado dos principais erros é igual a erros grosseiros e perfeitamente evitáveis repetidos continuamente.

Tenho certeza de que a maior parte dos locais onde meus leitores trabalham se encaixa nos dois parágrafos escritos acima. O que fazer? A fórmula é simples: transformar os casos mais sinistros de erros da empresa em “cases” e incluí-los nos manuais de treinamento.

Dois problemas: não há cultura de registrar os erros e não há manuais de treinamento. Se não existem, crie-os. Você, gestor em qualquer nível, deve se convencer de que não há saída para evitar os erros grosseiros e repetitivos a não ser esta.

Atenção: a maioria dos principais erros das empresas não fica registrada. Como esperar que, daqui há pouco, os erros não sejam repetidos?

A maioria das consultorias, especialmente as que implantam ISO, não destaca a diferença entre manuais de treinamento e instruções de trabalho. São criados documentos híbridos que nem são instruções nem servem para treinamento. Treinamento é detalhe e deve ser extenso. No final, deve haver provas. Na aplicação, a eficácia do treinamento deve ser acompanhada e comprovada.

Inclua nos seus manuais de treinamento os piores momentos da empresa. Um grande erro e um grande prejuízo precisam trazer retorno financeiro. Não deixe que eles se repitam. Pratique treinamento extremo e use como o material mais rico os próprios erros. Não permita que a empresa tenha pudor e não queira mais falar ou lembrar-se das suas falhas mais crassas. Elas devem se tornar pontos de referência na organização e o treinamento deve ser uma das ferramentas para explorar a riqueza contida nos erros. Paulo Ricardo Mubarack

051 81 82 71 12

[email protected]

www.mubarack.com.br

http://mubarackconsulting.blogspot.com