A realidade nua e crua

31/05/2012

Enfrentar a crueza dos dados e encarar a realidade é desafio aceito por poucos gestores. A maioria prefere escapar desta tarefa, perdendo-se em projeções irreais de receita, geração de caixa e lucro líquido e imaginando que “tudo vai dar certo”. Não há qualquer possibilidade que você venha a tomar as decisões corretas sem analisar a REALIDADE NUA E CRUA. Estimule sua equipe e a você mesmo com a força da realidade e não com a leveza do “fingir que não está vendo”.

Não há qualquer chance de se tomar uma decisão correta sem que os dados estejam colocados bem á frente, sem maquiagens ou imprecisões. A realidade nua e crua precisa ser lembrada todos os dias na empresa, sem o pensamento mágico que contribui intensamente para investimentos mal feitos e decisões absurdas.
Decididamente, o otimismo não é um bom companheiro do executivo e um pouco de paranoia aliado a caixa forte e ao hábito de analisar friamente a situação são excelentes conselheiros de quem toma as decisões.
Não gostamos, normalmente, de ouvir e de dar más notícias. Frequentemente, quem fez os planos em uma empresa não resiste a duas perguntas sobre suas estratégias, colocando em risco grandes somas de dinheiro e trazendo expectativas frustradas e sequelas para dentro da organização.

O líder precisa viver diariamente um paradoxo: analisar a realidade nua e crua, falar dos fatos assustadores que podem quebrar a empresa e, ao mesmo tempo, deixar claro para sua equipe que não tem a menor intenção de desistir ou de ser derrotado. Encontrar na dureza dos dados a forca para lutar é o paradoxo de ser realista e forte ao mesmo tempo, estimulando o time com a análise cruel e não com frases bobas e vazias de autoajuda.

O líder precisa ser um estudioso profundo do negócio, precisa estar 100% do tempo envolvido com a empresa e precisa ser fanático por metas, por planos de ação e por processos padronizados. As metas são fundamentais porque mostram, de forma implacável e irrefutável, os acertos e os erros da administração. Os planos de ação escritos e discutidos com vigor são essenciais porque mostram a consistência das estratégias adotadas. Os processos tornam-se indispensáveis porque são a referência para as melhorias. A realidade aparece nestes instrumentos. Sem ela, a derrota é uma possibilidade muito clara.

Paulo Ricardo Mubarack