A "sabedoria" dos humildes

10/09/2012

Exaltar a pobreza e afirmar que os pobres têm sabedoria superior é prestar um desserviço à sociedade. Nossa população, especialmente os jovens, precisa entender que ser bom ou mau não tem qualquer relação com a conta bancária das pessoas e que “aprender com a vida” é uma expressão ridícula da ignorância de quem a pronuncia detratando os livros, a escola e a teoria. Todos aprendem com a vida, não somente os pobres. Quem inventou a besteira que somente pobres aprendem no dia a dia? Somente cabeças confusas conseguem acreditar nisto. Precisamos exaltar a escola, a riqueza, os ricos e a evolução. O resto, podemos deixar para os ignorantes.

Li uma frase da poetisa Cora Coralina onde ela diz que “O saber se aprende com os mestres e com os livros. A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes”.

Bem, trata-se de uma afirmação ridícula. Com todo o respeito à memória da poetisa, li sua biografia (estudou apenas quatro anos) e algumas de suas poesias. Tentei entender por que alguém com uma boa história de vida e com talento, apesar de quase analfabeta, escreve tal aberração. A resposta parece ser simples: como alguém que nunca estudou pode valorizar os livros e os mestres? Isto tudo não passaria de blá-blá-blá se não fosse dito, repetido, dramatizado em novelas e filmes, romanceado em livros e exaltado pelos “intelectuais de esquerda” (que de intelectuais e de esquerda não têm nada), influenciando negativamente a formação de nossos jovens.

Quem é o despreparado que afirma ser a sabedoria propriedade dos humildes, em uma clara alusão não aos humildes de coração, mas aos pobres? Alguém precisa proclamar que a pobreza é feia, é mal cheirosa, é desumana e aprisiona as pessoas com os limites terríveis da ignorância. Aprender com a vida, como exaltam os “poetas e escritores” de cabeça confusa, todos aprendem, não somente os pobres. Os ricos e os classe média vivem e aprendem no cotidiano tanto ou mais que os pobres que, pelas suas péssimas condições, têm menos acesso a tudo. Por que perdura a idiotice de que pobres são bons e ricos são ruins? Este é preconceito intolerável. Ser bom ou ser mau, ser sábio ou ser estúpido, são atributos que não guardam qualquer relação com a conta bancária das pessoas. Todos conhecemos pessoas pobres muito más e tolas.

O lado ruim desta exaltação da pobreza e da ignorância é que nossos jovens, por todos os lados, são convidados a se afastar dos livros. Escolas decadentes, professores grosseiros e um dos piores sistemas escolares do mundo, acrescidos da pregação de que a sabedoria se aprende na vida e de que a pobreza é bacana, geram uma horda de jovens semianalfabetos, com diplomas falsos nas mãos e que travam o crescimento das empresas. Rancor em relação aos empreendedores, pouca vontade de estudar e a exaltação do esquisito, do bizarro e da ignorância!

Apreciar a riqueza, querer ficar rico e saber que o estudo é crucial, deve ser ensinado continuamente, substituindo frases ridículas e perigosas como o título deste texto.