Aprender com a vida

31/10/2012

APRENDER COM A VIDA é desculpa esfarrapada de ignorantes que detestam a escola ou qualquer processo de evolução. Por mais bem intencionada que seja uma pessoa, se ela não tiver uma educação formal e com uma sequência lógica, ela não conseguirá LIGAR OS PONTOS e sua evolução será inexistente ou lenta e fragmentada, na melhor das hipóteses.E não me refiro apenas à educação escolar, refiro-me também à educação no lar, onde muitos pais, covardes e preguiçosos, entregam suas crianças para a rua. Este lamentável fato ocorre em todas as camadas sociais e fragiliza uma sociedade, que passa cada vez mais a ser formada por um povo confuso e bisonho.

Existem muitas frases bobas, completamente desprovidas de conteúdo inteligente, mas que soam bem e que são repetidas por muita gente boa, mas que não pensa. Uma delas é a frase do título deste artigo: “É importante APRENDER COM A VIDA” ou “aprendeu na escola da vida” ou ainda “a vida vai ensiná-lo”.
Todas estas frases são tolas e podem ter resultados péssimos no desenvolvimento das pessoas, especialmente das mais jovens.

Um pré-requisito para o aprendizado eficaz é, como dizia Steve Jobs, saber como LIGAR OS PONTOS. O que significa isto? Significa que o aprendiz precisa ser ensinado dentro de uma sequência lógica, sem queimar etapas, onde uma lição depende das anteriores e onde exista a boa fé, a confiança e o respeito que devem caracterizar o processo de ensino.

Obviamente, estes atributos inexistem quando alguém “aprende com a vida”. O grande risco é que uma pessoa viva fatos isolados, até tirando deles algumas lições, e nunca consiga LIGAR OS PONTOS justamente devido ao isolamento e à falta de sequência lógica destes acontecimentos.

Uma porrada tomada durante a vida pode ensinar assim como pode derrubar irreversivelmente uma pessoa. Contrair AIDS ou passar por uma gravidez indesejada realmente não são fatos desejáveis e deixam consequências irreversíveis, por mais belas lições que ensinem a uma pessoa. Ninguém precisa passar por isto para aprender alguma coisa que valha a pena.

Todo aprendizado isolado e casual é fraco e o fato de dizermos que alguém vai APRENDER COM A VIDA, especialmente se temos responsabilidade por este alguém, é um brutal ato de lavar as mãos e jogar a responsabilidade na “nuvem difusa e confusa” do universo.

Se você deseja o bem de alguém, seja seu filho ou seus empregados, elabore um minucioso plano de desenvolvimento e execute-o religiosamente, revisando-o e melhorando-o continuamente. Esqueça velhos bordões populares e ignorantes como “ele fez a faculdade da vida” e não delegue sua responsabilidade para o destino. Conheço pessoas de todas as idades que são completamente confusas e desperdiçam tempo e vida útil, tudo porque nunca tiveram uma sequência lógica de aprendizado e alguém que as ajudasse a LIGAR OS PONTOS. Muitas sofreram muito e não aprenderam nada. Não é para menos, pois sofrimento e derrotas sem a lucidez da análise racional só pioram as coisas.