Boa-fé

17/10/2011

Boa-fé resume todos os atributos que se possa usar para descrever caráter reto de profissionais e digno de uma grande empresa. Contratar gente com boa-fé é pré-requisito para o desenvolvimento humano dentro de uma organização, pois onde predomina a boa-fé não existe espaço para atitudes devastadoras como a fofoca de corredor, a maldade, a mentira e o foco excessivo no dinheiro.

Conheço muitos malandros atuando nas empresas. Muitas vezes, são tecnicamente razoáveis ou mesmo bons, trabalham bastante, mas pouco se importam com a firma. Boa-fé é retidão ou pureza de intenções, sinceridade, convicção de agir ou portar-se com justiça e lealdade com relação à empresa e a todos que nela trabalham. Boa-fé é “cara limpa”, é olhar nos olhos das outras pessoas e não ter qualquer resquício de maldade no comportamento.
Contrate apenas gente de boa-fé. Técnicas e métodos você ensina, boa-fé não! Quem tem boa-fé debate abertamente os problemas. É franco e não é covarde. Coloca o interesse coletivo acima do seu. É comprometido, não mente e tem alto nível de entrega para o trabalho. Não faz nem estimula a fofoca e não vive falando em dinheiro.
Aliás, detesto empregados que vivem falando de salário ou que acham injusto o que ganham. A porta da rua de uma empresa sempre está aberta e ninguém está acorrentado. É lógico que salário é importante, mas não pode ser o foco diário das conversas. Conheço um sujeito que fala sobre este assunto o dia todo. É bom tecnicamente, mas é muito “dinheirista”, não tem boa-fé.
Para as empresas, sugiro que demitam quem não tem e que contratem e promovam quem tem boa-fé. Para os empregados, alerto: se você não tem boa-fé, sempre acha que está sendo enganado pelo seu patrão e que há injustiças por todo o lado, você será sempre um fracassado. Ninguém irá aguentá-lo muito tempo, pois ninguém suporta um profissional com este perfil, por melhor que seja a técnica.
Os melhores países para se viver no mundo, onde o nível de civilização é o mais alto da humanidade, são os países anglo-saxões. É onde existe o maior índice de respeito e confiança (isto é, BOA-FÉ) entre pessoas e empresas. São os países com menor índice de corrupção do mundo e onde a economia é mais estável.
Malandros são otários, invejosos são idiotas e ciumentos são decadentes. Parece que o bem, enfim, vence o mal.
Proteja sua empresa dos malandros. Veja com RH como é a técnica para identificar BOA-FÉ e não caia na tentação de contratar, promover e manter pessoas apenas pela técnica.