Inside out - upside down

15/04/2013

Revirar sua empresa, ir para a rua e enfrentar a realidade nua e crua, é crucial para melhorar sua operação e sua estratégia. Boa parte da informação que você precisa está na boca dos clientes e dos outros vários públicos que fazem parte do seu ecossistema. Converse frequentemente com todos e não apenas com alguns bajuladores em salas fechadas, blindadas contra o mundo que berra seus erros. Ouça e melhore. Não ouça e morra. A escolha é somente sua.

Olhar uma empresa de dentro para fora e de fora para dentro, olhá-la também como se estivesse de cabeça para baixo, revirada, é salutar para qualquer empresário ou gestor. Em muitas organizações, diretores, presidentes, conselheiros e acionistas enclausuram-se em salas bem decoradas, com café e frutas frescas, e se esquecem de gastar a sola do sapato. As coisas da vida real acontecem na rua, na empresa dos clientes, na casa dos consumidores, nas lojas e nas fábricas. Salas fechadas e glamourosas são convites para a ignorância camuflada pelos títulos do organograma e incentivada pelos elogios dos bajuladores.

Você, presidente, conselheiro ou diretor, precisa estar constantemente na rua, conversando com estagiários, operadores, balconistas, clientes, consumidores, fornecedores e todo tipo de pessoa que esteja envolvido com seu negócio. Você recolherá informações preciosas para melhorar a estratégia e a operação da sua firma.

Se você permanecer sentado nas salinhas de reunião e conversando apenas com as mesmas pessoas, você não aprende e quando você não aprende, você torna-se um incapaz. Você torna-se um aristocrata tão estúpido quanto os ridículos nobres da França que perderam sua riqueza e suas cabeças na Revolução Francesa em 1789.

Continue sendo um homem e não se transforme em uma “instituição”, em um “doutor” presunçoso e desatualizado, presa fácil para a concorrência, uma piada ambulante.

Boa parte das informações que você precisa está na rua e vem de graça. Abandone a preguiça e o orgulho, vá a campo e faça isto de forma metódica. Não seja medroso e enfrente a rua. Não seja queixo de vidro e saiba ouvir críticas. Perceba como sua operação pode ser ruim e detestada pelos clientes ou por seus empregados. Entenda porque sua estratégia não dá resultados.

Faça isto com urgência e obrigue todos os que estão abaixo de você a fazer o mesmo. Tudo isto dá muito trabalho, mas os frutos são muito doces.

Paulo Ricardo Mubarack