Mamãe penteou

Há sujeitos tão lentos e cheios de frescuras que irritam profundamente quem precisa ser objetivo e obter resultados. Os concorrentes adoram este tipo de profissional (na outra empresa): são os “mamãe penteou”, homens e mulheres que se comportam como crianças mimadas, egocêntricas e “sem noção”. Os “mamãe penteou” estão espalhados por aí, infelicitando as empresas que ingenuamente apostam neles. Afastá-los prontamente e promover quem “tem fome” e precisa do pão para sobreviver é ação fundamental dos principais executivos de uma organização.

Há determinados profissionais que são tão “certinhos”, tão enjoados, tão lentos, que irritam qualquer pessoa focada e que gosta de um sistema gerencial sem frescuras. São aqueles que eu chamo de “mamãe penteou”. São semelhantes àqueles menininhos arrumadinhos pela mamãe, cabelinho impecável e repartido para o lado com uma régua de precisão admirável, cheirinho de bebê e sapatinho, brilhando, de couro italiano. Não colocam o pé na areia, cansam após qualquer esforço mais forte (agachar-se, por exemplo), choram bastante, chamam a “mamãe” para defendê-los, tomam mamadeira no sofá vendo o desenho animado e são “nojentos” para comer.

Passam a manteiga bem devagarzinho no pão e são sérios candidatos a metrossexuais. Amam-se profundamente e o espelho é o paraíso para eles. Muitas vezes, são boas pessoas, mas o hábito de “mamãe penteou” é irritante e destrói suas carreiras.

Para identificar o “mamãe penteou”, analisem as seguintes atitudes:
1. Desligam o celular após certo horário.
2. Não atendem números desconhecidos.
3. Não aceitam trabalhar em horários extraordinários.
4. Reclamam bastante, de tudo.
5. São extremamente sensíveis, choram ou ficam irracionais diante de uma crítica (chilique).
6. Não suportam esforços físicos (caminhar por uma planta, viajar muito etc.).
7. Sempre viajam durante o dia. Voos às 6 da manhã ou à noite cansam os “bebês”.
8. São lentos.
9. Vestem-se muito bem, mas de forma inadequada para ambientes mais simples.
10. Analisam a roupa e os acessórios dos colegas, mas esquecem de analisar o caráter. Forma vale mais do que conteúdo para estes “babies”.
11. Acham tudo difícil ou impossível.
12. Detestam metas e planos de ação. Preferem o “método do gogó”, ou seja, conversa fiada.
13. Adoram a aristocracia dentro das empresas (salas particulares, vaga diferenciada no estacionamento, restaurante privativo, banheiro só deles).
14. São extremamente sensíveis ao calor, ao frio, ao ácaro e, às vezes, à pressão do trabalho.
15. Preferem ambientes de falsa harmonia, onde os problemas graves são apenas falados nos bastidores, ao pé dos ouvidos, e nunca debatidos frente à frente.
16. São fofoqueiros.

Reconheceu alguém? Afaste-os da sua empresa. São párias, são lentos e são dispersivos. Não contribuem com qualquer coisa para o resultado. Afinal de contas, “mamãe penteou” e eles não podem “se sujar” metendo a mão na massa.