Onde anda o trabalho em equipe?

26/07/2012

Trabalhar em equipe está cada vez mais difícil nas empresas marcadas por gente que desaprendeu a falar. E-mails e torpedos substituem a conversa que, às vezes, é indispensável para que um problema seja resolvido rapidamente. A comunicação exageradamente eletrônica torna improdutivas muitas tentativas para se resolver uma na conformidade. O trabalho em conjunto, o debate e a franqueza passaram a fazer parte de um passado recente e esquecido. Como trabalhar em equipe deve voltar ser um assunto na pauta dos treinamentos obrigatórios nas organizações.

Recordo que trabalhar em equipe era uma frase dita e repetida várias vezes nos anos noventa. Em gestão, há algumas palavras que são recorrentes, como liderança, treinamento e trabalho em equipe. Tão batidas são estas e outras frases ou conceitos que, de tempos em tempos, precisam ser revisitadas.

É o caso do “trabalho em equipe”. Por onde andará? Tenho notado que com o uso cada vez mais frequente das redes sociais e de meios de comunicação extremamente ágeis e fáceis, como o e-mail, por exemplo, o resultado tem sido esquisito: as pessoas estão desaprendendo a falar. Parece estranho, pode parecer uma ironia da minha parte, mas realmente não é. Estamos desaprendendo a falar. Assuntos sérios, urgentes e delicados, que precisam ser tratados cara a cara em uma reunião, estão sendo reduzidos a e-mails e torpedos que só agravam a situação.

Se falarmos em produtividade, também temos uma situação que piora: o que um simples telefonema poderia resolver em três minutos, leva cinco dias para ser solucionado, após uma lenta e improdutiva troca de mensagens eletrônicas.

O trabalho em equipe, portanto, volta à cena. Quando estamos diante de uma não conformidade no trabalho rotineiro, quando mais grave ela for, mais será necessário o trabalho em equipe. Isto significa que a “vítima” da não conformidade (o departamento de vendas, por exemplo), deverá agendar uma reunião presencial com o pessoal da produção, do PCP e da logística para analisar falhas na entrega. “Estamos perdendo vendas por causa da incompetência da nossa entrega”, frase que ouço frequentemente nos porões das empresas, precisa ser dita pelo gerente de vendas na frente dos gestores das outras áreas e todos, EM EQUIPE, precisam, COM MÉTODO, resolver o problema.

Como consultor, tenho um raro privilégio: falo com todos nas empresas. E vejo com clareza como algumas reuniões simples com espírito de equipe poderiam resolver rapidamente falhas que se tornam crônicas com o tempo.

Gestores de recursos humanos e presidentes precisam dar-se conta da importância de um tema que já foi muito batido há cerca de quinze ou vinte anos, que desapareceu da pauta pela exaustão, mas que volta a precisar de cuidados especiais, como treinamento intenso, por exemplo: o trabalho em equipe.

Aprender novamente a falar parece ser outro treinamento obrigatório. Simplesmente, não conseguimos falar com a Apple, com o Google ou com o Facebook. Somos atendidos pelos “robôs do Google”, expressão utilizada pela própria empresa. E levamos este vício para dentro das nossas companhias. Não falamos mais, apenas digitamos.