Por que não te calas?

27/04/2009

Lidere com perguntas e não com respostas. Quando um gestor fala demais e não ouve sua equipe, seus fornecedores e seus clientes, ele desperdiça um conjunto muito importante de informações. Pare de falar pelos cotovelos.

Muitos empresários, diretores e gerentes me perguntam como eu enxergo “coisas” nas suas empresas que eles nunca viram. Será que o consultor tem poderes especiais? Ou será que vale aquela velha máxima que diz que “quem vem de fora enxerga mais do que os de dentro”?

Nem uma coisa nem outra. Apenas estou treinado para ouvir. Faço muitas perguntas e presto muita atenção nas respostas. Lidere com perguntas e não com respostas. Quando um gestor fala demais e não ouve sua equipe, seus fornecedores e seus clientes, ele desperdiça um conjunto muito importante de informações. Se quem tem mais poder fala demais e já dá todas as respostas, só resta “aos de baixo” calar-se e concordar. Não gosto de executivos que falam pelos cotovelos. Este mau hábito demonstra superficialidade e arrogância. O gestor tem a sua hora para falar, mas deveria ouvir o dobro do que fala. Já fiz reuniões onde um ou dois executivos da empresa que me pagava falaram o tempo inteiro e quase não me ouviram. Para que me pagaram? Terapia?

As pessoas têm informações e sugestões muito valiosas e simplesmente se calam diante de quem é um falastrão. Saber fazer as perguntas adequadas, ter a paciência de ouvir, anotar, pensar e somente depois falar é uma excelente atitude para um gestor profissional. Odeio gente “definitiva”. São aqueles que têm sempre uma opinião formada sobre qualquer assunto, fazem afirmações baseadas no nada e que nunca aprendem. Certa ocasião, comentei com a diretoria de uma empresa que não visitava há oito anos: “...vocês continuam com os mesmíssimos problemas de oito anos atrás. Vocês não evoluíram nada, apenas estão mais pobres”. Triste realidade! Quem não sabe ouvir e já tem todas as respostas, não aprende e não evolui.

Às vezes tenho vontade de repetir a frase famosa para alguns gestores: “... Por que não te calas?”.