Produtividade

05/07/2013

Produtividade é fazer cada vez mais com cada vez menos. Simples assim. Muitos dirigentes, empresários e gestores conhecem superficialmente este conceito e não dispõe de técnicas para estudar e melhorar a produtividade em suas empresas, em todas as áreas. Parece que produtividade se restringe à áreas industriais e setores administrativos e comerciais ficam esquecidos. Aliás, muitos gestores parecem ter capacidade apenas para pedir dinheiro para o acionista, mas nunca parecem dispostos a aumentar brutalmente a produtividade. Conheço empresas que continuariam funcionando muito bem com 50 % a menos de funcionários em várias áreas.

Não gosto quando só se fala em dinheiro dentro de uma companhia. Participo há três anos em Conselhos de Administração e tenho contato com uma centena e meia de empresas e, muitas vezes, parece que só temos isto para discutir. Além da análise do demonstrativo de resultados e de todos os seus índices (margens, EBITDA, lucro, receita, rentabilidade, custos, despesas e investimentos), os gestores e dirigentes precisam discutir métodos, ferramentas, estratégias e planos de ação. Precisam olhar os indicadores que compõem os números dos demonstrativos financeiros. Precisam verificar os processos que geraram o balanço e o fluxo de caixa. Quando apenas se fala em dinheiro, as frases são vazias, os conceitos estão ausentes, a técnica fica esquecida e o método inexiste. Ora, sem conceitos, técnicas, métodos e ferramentas adequadas, as ações têm execução precária, cara e demorada.

Todos querem dinheiro, mas e a discussão sobre produtividade, onde fica? Eu perambulo pelos corredores mais íntimos das empresas há 30 anos e vejo como é pequena e insuficiente a produtividade da maioria dos funcionários em grande parte delas. Quantas pessoas você precisa na contabilidade, no financeiro, em compras, no marketing, na loja, na fábrica, na expedição, no faturamento, no recebimento de materiais, no controle do estoque etc.? Quantos? Por que empresas separadas apenas por “uma cerca” são tão diferentes nos resultados? Por que uma minoria vai bem e um número muito grande é apenas mediano ou tem desempenho ruim? A resposta é muito simples: produtividade! Observe duas pessoas executando a mesma tarefa, nas mesmas condições: por que uma delas produz muito mais do que a outra? Às vezes, esta diferença chega a 50 ou 100 %, especialmente em tarefas administrativas e comerciais. Se um desperdício de produtividade de 5 % pode ser significativo, imagine-se uma diferença entre 50 a 100 %!

Não é possível administrar uma empresa de olho apenas no dinheiro. Ele é consequência e não é a causa. Você e eu precisamos examinar cuidadosamente cada atividade, cada tarefa, cada processo da organização. Verificar o método utilizado, os equipamentos, as ferramentas, o software e os fornecedores, além, é claro, do executor. O executor da atividade precisa ter perfil, treinamento e padrão. E precisamos analisar um por um dos executores. Se você acha que estou exagerando, dedique algumas horas do seu dia para observar apenas duas pessoas fazendo a mesma coisa. Você se surpreenderá, porque a falta de produtividade está espalhada abundantemente pelas empresas. Demita 10 pessoas, substitua-as por 5 mais produtivas e pague estas 5 como se pagasse 8! A realização do produto terá mais qualidade, menos custos e todos (acionistas, clientes e empregados) serão mais felizes.
Isto existe há séculos. Você é que não sabe! Empilhar um monte de medíocres ganhando pouco e depois ficar desesperado na frente dos números, apenas discutindo dinheiro e não produtividade, é uma atitude insana na gestão de qualquer organização.

Paulo Ricardo Mubarack